Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu e tu...e o resto do mundo

Este é um blog nosso, das nossas coisas, da nossa vida e daquilo que nos faz feliz. E claro...do resto do mundo!

Este é um blog nosso, das nossas coisas, da nossa vida e daquilo que nos faz feliz. E claro...do resto do mundo!

India - Nova Deli

DSC00084

 

Hoje venho-vos falar da India!

Ah e tal...mas vocês estiveram na India em 2015... Sim! E daí?! Tenho saudades, apetece-me voltar e nunca vos contei como foi a nossa viagem!!! Portanto aqui vai! Vai ser a minha forma de lá voltar sem sair do lugar!

Porque decidimos ir à India e não a outro sítio? Porque depois de Marrocos que adorámos,  queriamos ir a sítios o mais diferente possível da nossa realidade. Pensámos... das duas uma: ou China ou India. E visto que o Pedro queria percorrer a China inteira e isso ficava mais caro que o nosso budget decidimos India!

A nossa viagem durou 17 dias a contar com as viagens. Fomos em Outubro.

 

Começámos por ir para norte: Nova Deli, Jaipur, Agra, Varanasi e depois Sul: Kerala (Koshin), Munnar, e por fim Cherai Beach.

Tentámos ler o mais possível, sites, blogs de viagens para sabermos o que nos esperava e para planearmos a viagem o mais tranquila que conseguissemos. Lemos as reviews dos hoteis com atenção, antes de escolher, fomos à consulta do viajante e comprámos algumas viagens de comboio antecipadamente porque nos sugeriram que o fizessemos, visto o sistema ferroviário indiano ser algo complexo...

Mas mesmo a ler e a planear há sempre imprevistos!

Tinhamos pedido transfer do hotel, para ser mais fácil, pois como já chegávamos tarde a Nova Deli e não conheciamos nada, seria mais fácil. Mas como não me tinham respondido em tempo útil já não estava a contar.

Quando saímos do aeroporto, fomos invadidos por um bafo quente e húmido e por uma confusão de gente a falar connosco, a dizer para os acompanharmos numa lingua inglesa muitooo estranha. E fomos procurar os taxis pré pagos que nos disseram que era o melhor. Após pagarmos vieram ter connosco 2 rapazes que nos levaram até ao taxi. Questionei o 2º que me disse que ia mostrar o caminho ao motorista. Pensei que os GPS's ainda não tinham lá chegado, mas tudo certo! O trânsito na India é uma coisa  que só vista! Faz-se basicamente 2 coisas: acelera-se e buzina-se! Constantemente! Ao mesmo tempo! 

Depois de andarmos bastante agarradinhos ao banco e a rezar à nossa Sra dos viajantes, parámos perto de um homem, faláram e depois o “GPS” disse que a rua estava fechada devido a umas festividades e que não tinhamos forma de ir para o hotel que tinhamos págo, e teriamos que ir para outro. Aí eu lembrei-me que tinha lido em qualquer sítio que isso era uma burla frequente, dizerem que a rua do hotel estava fechada, levando as pessoas para outro hotel onde tinham comissão. Ficámos logo em alerta! Disseram que à frente havia uma agência de turismo que estava aberta aquela hora e que eles arranjariam uma solução. Fiquei eu no carro com o motorista e o Pedro foi com o “GPS” lá dentro. Posso dizer que estava em pânico! Agarrei-me ao telemóvel para ligar para o hotel e após várias tentativas falhadas devido ao indicativo lá me atenderam com uma voz de quem tinha acabado de acordar e um inglês muitooo estranho e me disseram que não estava nada fechado e que estavam à nossa espera.

Eu sem poder sair do carro porque podiam arrancar com as nossa bagagem e o equipamento completo de fotografia do Pedro, estava prontinha para dar uma traulitada em alguém com o tripé, caso tentassem arrancar com o carro ou fazerem-me alguma…E só imaginava o que se poderia estar a passar com o Pedro lá dentro…porrada? Tirarem-lhe um rim? Juro que me passou tudo pela cabeça!

Passado uma eternidade lá apareceu o Pedro, são e salvo a dizer de uma forma muito assertiva ao motorista que a agência tinha confirmado que era tudo um esquema e que ou nos levava imediatamente até ao hotel ou iamos diretos para a polícia. O rapaz lá pediu desculpas, disse que não conhecia o “GPS” de lado nenhum, pensava que ele estava connosco e que ia tentar chegar ao hotel. Lá andou, todos os sitios eram francamente maus, perguntou a algumas pessoas que já estavam na rua, estes lá davam umas indicações e por fim lá chegámos ao hotel.

Aí foi outro filme…

O hotel embora com óptimas reviews no booking estava completamente às escuras, provavelmente devido a ser de madrugada, quando nos levaram ao quarto havia imensa gente a dormir no chão. Sim! Trabalhadores do hotel a dormirem no chão! E quando chegámos ao quarto a cama só tinha o lençol de baixo e com umas manchas bem estranhas diga-se de passagem! Pensei que tinha chegado ao fim do mundo…

Fui à recepção, dizer que aquele quarto não estava capaz e disseram-me que tinhamos que esperar, porque o diretor ainda não tinha chegado. Eram quase 7h da manhã e nós sem dormir…Pensei, que tomariamos o pequeno almoço com calma e depois falariamos com o diretor e depois caminha! Limpa, de preferência!

Vimos o nascer do sol no hotel, bonito, mas sempre com uma névoa e apercebemo-nos do que rodeava o hotel…pobreza, lixo, muito lixo, pessoas a dormirem na rua…uma realidade muito assustadora…

Quando fomos para o pequeno almoço começei a ficar mais contente, porque comer em viagem e experimentar coisas novas é sempre o que me deixa mais feliz!

Comecei por experimentar o que me parecia o nosso “peixinho da horta”, uma espécie de feijão verde panado. Vou toda contente experimentar e se fosse um desenho animado teria deitado fumo pelas orelhas e os meus olhos teriam saltado das órbitas! Não era mais nem menos do que uma malagueta verde panada! Não têm noção! Horrível!!!

Pensei que não estava para indianices, pelo menos não antes de dormir e experimentei as únicas coisas que me pareciam familiares: pão de forma e uma compota cor de rosa que parecia super artificial. Mau...e eu não me considero uma pessoa esquisita! Nada me sabia bem…e pensei que o melhor era ficar-me por uma banana, que pelo menos essa sim era óptima! E tal qual Mutley (não sei se se lembram do cão que reclamava) comi a minha bananinha...

Mudaram-nos de quarto por especial favor e por tanto reclamar com o gerente e ameaçar fazer queixa ao booking ele no final devolveu uma parte do dinheiro ao Pedro. Só ao Pedro! Incrível o papel da mulher nestes países!

Devido a estes primeiros acontecimentos e não só, ficámos com uma impressão terrível de Nova Deli. A India tem uma taxa demográfica muito alta e isso nota-se na rua. Em 2011 eram quase 22 milhões de habitantes. Só em Nova Deli!. Muita gente, demasiada gente, homens em particular! Poucas passadeiras, poucos semáforos, uma cidade muito pouco simpática para os peões. Carros, motas, muitas motas, muitos tuktuks, muitos camiões, a apitar todos ao mesmo tempo, sem um critério aparente. 

Nós andávamos na rua (sempre de tripé) e eramos assutadoramente os únicos não indianos. Não nos sentíamos seguros. Nem para comer na rua (coisa que achávamos que iamos fazer imenso), pois era tudo demasiado sujo, nem para falar com ninguém. Houve uma altura em que veio falar connosco um rapaz dos USA super contente por não ser o único não indiano e depois de tanta conversa percebemos claramente que ele só queria que fossemos a uma agência de viagens de uns amigos indianos, para nos venderem uns pacotes de viagens! Sentíamos que toda a gente nos queria enganar!

Na realidade estavamos em constante tensão com imenso medo de tudo e de termos cometido um erro gigante ao ter escolhido ir para a India.

Posso vos dizer que estes primeiros acontecimentos marcaram a nossa estadia em Nova Deli. E tudo isto fez com que não gostássemos de Nova Deli, provavelmente de forma bem injusta… Felizmente só iamos estar de passagem para Jaipur!

Para ver como estavamos, em 3 dias apenas tirámos estas 2 fotos! Uma quando chegámos ainda no aeroporto e esta já no comboio a caminho de Jaipur.

DSC00085

 

E quem já esteve em Nova Deli, o que achou?

 

Mais sobre nós

Sigam-me

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D